Grupo de trabalho sustainable finance

Contexto

Compromissos internacionais e europeus como o Acordo de Paris, os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS) ou a diretiva 2014/95/EU relativa à divulgação de informação não financeira vão levar as empresas a implementar pela primeira vez ou a melhorar planos e estratégias concretos que contribuam para as novas metas globais com que os países cada vez mais se comprometem. Também as estratégias da Comissão Europeia para a bioeconomia, infraestruturas verdes, economia circular, biodiversidade ou o Roteiro para a Europa Eficiente na Utilização de Recursos vão ser impulsionadores de mudanças ao nível das empresas.

Para suportar estas mudanças, as empresas vão precisar de recorrer a financiamento externo. Neste sentido, os setores ligados à banca, seguros, capitais de risco, fundos de pensões, entre outros, já estão ou vão passar a estar atentos aos novos projetos que começam a ser desenhados e que precisam de financiamentos diferentes dos tradicionais.

Objetivos

O grupo de trabalho sustainable finance tem como missão produzir conhecimento que contribua com linhas de orientação para o sistema financeiro português promover o investimento e o consumo sustentáveis e o alinhamento do financiamento com as políticas públicas.

O grupo vai trabalhar em duas áreas do sistema financeiro: banca de retalho e gestão de ativos.

Na banca de retalho, o objetivo é evidenciar as oportunidades despoletadas pela economia verde, através de uma publicação que identifique as oportunidades que a economia verde, a economia circular e a sustentabilidade como um todo podem trazer para o negócio da banca de retalho.

No tema da gestão de ativos, os membros vão analisar um conjunto de fundos socialmente responsáveis e os referenciais de base aos critérios de ESG (environmental, social and governance) utilizados pelas agências de rating e criar um guia que possa servir de apoio às empresas.

Resultados esperados

Levantamento das políticas públicas que podem vir a influenciar as empresas ao nível da sustentabilidade e que irão suscitar necessidades acrescidas de financiamento externo;

Análise de benchmark sobre as práticas internacionais existentes ao nível de sustainable finance, abarcando áreas como: bancos, microcrédito, seguradoras, gestão de ativos, associações dos setores, políticas setoriais, fundações, fundos públicos e capital de risco;

Publicação de um documento sobre as oportunidades de financiamento no COMPETE 2020 e no PO SEUR (download);

Publicação de um documento que identifique as oportunidades que a economia verde, a economia circular e a sustentabilidade como um todo podem trazer para o negócio da banca de retalho;

Publicação de um guia geral de apoio às empresas em matérias de reporte de ESG para índices e referenciais.

Associados envolvidos