57 empresas comprometem-se com o Pacto de Mobilidade para Lisboa

57 empresas comprometem-se com o Pacto de Mobilidade para Lisboa

Data da publicação: Dez 2019

Pacto de Mobilidade Empresarial para a cidade de Lisboa

A mobilidade urbana atravessa uma profunda transformação impulsionada por mudanças tecnológicas e culturais. Os cidadãos e os governos procuram soluções mais ecológicas e eficientes para responder às suas necessidades de mobilidade e, ao mesmo tempo, proteger o planeta.

Nenhuma cidade, instituição ou empresa pode enfrentar este desafio individualmente.

O World Business Council for Sustainable Development (WBCSD), a Câmara Municipal de Lisboa, o BCSD Portugal e um conjunto de empresas e instituições líderes, dão um passo importante com a assinatura do Pacto de Mobilidade Empresarial (CMP) com a cidade de Lisboa.

Ao abrigo desta iniciativa do WBCSD, do BCSD Portugal, da Câmara Municipal de Lisboa e de 57 empresas e instituições, estas assumem o compromisso de tornar a mobilidade mais sustentável em Lisboa.

O CMP irá catalisar a liderança empresarial e visa acelerar a transformação da mobilidade urbana para soluções sustentáveis. As entidades signatárias vão adotar um conjunto de medidas que contribuirão para que a cidade de Lisboa tenha um sistema de mobilidade mais seguro, acessível, ecológico e eficiente, conforme os princípios fundamentais da colaboração, do compromisso, da transparência e da segurança.

O Pacto tem como objetivo contribuir para uma mobilidade mais sustentável, em Lisboa, através da promoção de uma oferta e de uma procura de soluções multimodais, em primeiro lugar através da criação de condições para adoção de novos comportamentos e de novas soluções pelos colaboradores e, ainda, através do alargamento destas medidas a fornecedores e clientes.

Os três pilares estratégicos da mobilidade que estruturam as ações a implementar pelas empresas são:

  1. Otimizar e descarbonizar as operações e as frotas das empresas aderentes ao CMP;
  2. Promover a diversificação do mix modal, nomeadamente promovendo a integração e a conectividade multimodal coletiva, aumentando a mobilidade partilhada e ativa para reduzir o congestionamento e promover a descarbonização dos transportes;
  3. Promover o crescimento da cultura de transporte multimodal coletivo e inclusivo.

As entidades subscritoras comprometem-se a executar um conjunto de iniciativas, que abrangem temas diversificados como, por exemplo, redes de partilha de bicicletas, promoção de trabalho remoto, aumento dos veículos elétricos em frotas de uso privado e operacionais e passes mensais gratuitos de transporte coletivo para os seus colaboradores.

São signatárias do Pacto as seguintes entidades: Accenture; Acciona; Adene; ANA – Aeroportos de Portugal; Arcadis; Banco Atlântico Europa; Barraqueiro Transportes; BNP Paribas; Brisa; Caetano Auto; Carris; Circ; Crédito Agrícola; CTT; DECO; Deloitte; DHL Express Portugal; DPD; Eaton; eCooltra; EDF Renewables Portugal; EDP; Efacec; El Corte Inglês; EMEL; Epal; EY; Fujitsu; Fundação Salesianos; Galp; Grupo Ageas Portugal; Grupo Pestana; Hertz; IKEA Portugal; Imprensa Nacional Casa da Moeda; Infraestruturas de Portugal; Kia Portugal; Logistema; Lojas Francas de Portugal, S.A.; Loyal Advisory; Mercedes-Benz Portugal; Metropolitano de Lisboa E.P.E.; Millennium bcp; Nissan Portugal; PwC; Repsol; Rodoviária de Lisboa; Santander; Schneider Electric; SGS Portugal; Siemens; Siva; Tecnoplano; TIS; TramGrid; Uber e Vodafone.

A este grupo poderão juntar-se outras no futuro.

Para mais informação consulte o press release.

Veja o vídeo.

2019-12-17T16:40:10+00:00
This website uses cookies to improve your experience. We'll assume you're ok with this, but you can opt-out if you wish. Accept