Meet 2030

Meet 2030 2017-12-14T11:01:48+00:00

Meet 2030

Contexto

No âmbito da política internacional e europeia que exige uma diminuição das emissões de CO2 das economias, é necessário que as empresas pensem estrategicamente este tema, de modo a poderem posicionar-se de forma competitiva no mercado a médio e longo prazo. É necessário que a empresas consigam identificar de que forma este enquadramento vai afetar os negócios, e que processos de inovação podem vir a  ser desenvolvidos para que consigam manter e aumentar competitividade no futuro.

 

Objetivos

Criar cenários para Portugal em 2030, no contexto de uma quarta revolução industrial tendo em conta os compromissos nacional, europeu e global para alcançar a neutralidade carbónica, os desafios dos vários setores económicos e a investigação que tem sido liderada pelos associados do BCSD;

Identificar potenciais novos setores de atividade económica, inovação em produtos e processos e as vantagens competitivas necessárias para que as empresas possam manter um crescimento sustentável a longo prazo;

Identificar as soluções com maior valor acrescentado e contribuir para uma policy action, que permita definir prioridades estratégicas a nível nacional e internacional.

Saiba mais acerca do Meet2030

SITE MEET 2030
FOTOGRAFIAS 1.º WORKSHOP
FOTOGRAFIAS 2.º WORKSHOP
FOTOGRAFIAS 3.º WORKSHOP

Resultados

Avestruz e lince ibérico. Estes são os dois potenciais cenários que a economia portuguesa pode enfrentar em 2030 e que resultam do processo de planeamento de cenários do Meet 2030, projeto desenvolvido pelo BCSD em parceria com o Instituto Superior Técnico, com vista a entender como é que o crescimento económico e a criação de emprego são possíveis numa economia neutra em carbono. O processo, que decorreu ao longo de 10 meses, envolveu cerca de 30 empresas portuguesas, de 13 sectores diferentes, que contou com diversas interações com entidades públicas como o Ministério do Ambiente, a Agência Portuguesa do Ambiente (APA), a Agência para a Energia (ADENE) e a Secretaria de Estado da Indústria.

As estruturas e narrativas dos dois cenários, desenvolvidas num processo cooperativo e construtivo, são as seguintes: no cenário avestruz, Portugal está atrasado e estagnado num mundo transformado por novos desenvolvimentos tecnológicos, ambientais e energéticos. Apesar de conseguir cumprir as exigências do Roteiro Nacional de Baixo Carbono de 2012 da APA, o PIB está em queda. Portugal está a tornar-se cada vez mais periférico e menos atrativo para o investimento. O sistema bancário é incapaz de apoiar adequadamente o desenvolvimento económico, o que resulta numa queda do stock do capital produtivo em Portugal. Há uma incapacidade para alinhar o desenvolvimento tecnológico e os investimentos em ciência, tecnologia e inovação com os grandes desafios societais que o país enfrenta. Portugal é incapaz de atrair e reter talento. O cenário lince ibérico é de elevada estabilidade, crescimento e competitividade, com um significativo crescimento económico da UE, estabilização financeira da economia portuguesa e níveis de investimento mais elevados. Neste cenário, a recuperação baseia-se na forte cooperação entre agentes económicos no país e entre Portugal e outros países. O sistema bancário recupera e apoia o desenvolvimento económico. O resultado é o aumento do stock de capital produtivo de Portugal a cada ano. Existe uma estreita cooperação entre agentes, incluindo a coordenação entre as políticas governamentais e as necessidades das empresas, a fim de abordar os novos desafios societais. Isto conduz à atração e retenção de talento.

Para perceber como o crescimento económico e a criação de emprego são possíveis numa economia neutra em carbono, o Meet 2030 usou a abordagem do modelo económico da exergia. Esta abordagem é significativamente diferente do modelo económico tradicional, no qual o PIB é uma função do trabalho, do capital e da produtividade total dos fatores. No modelo económico da exergia, o PIB é uma função do trabalho, do capital e da produtividade da energia, ou seja, a eficiência exergética.

        For Business Report                                              Technical Report                                   Resumo projeto Meet 2030

For Business Report
Technical Report
For Business Report RESUMO

Cenário/Foresight: exemplos e metodologia

The need for environmental horizon scanning

AI and Future Jobs in 2030: Mudding Through Likely but Two Alternative Scenarios

Assessing and Managing Emerging Risks

Coleção de cenários globais – seleção e análise de projetos internacionais de cenários

Coleção de cenários globais – seleção e análise de projetos internacionais de cenários

Energy Futures for Canada

EuroMed-2030 Long term challenges for the Mediterranean area

Explore the Outlook for Energy: A View to 2040

Future Energy Scenarios – Feedback document for 2016

Futures toolkit for policy-makers and analysts – Strategic thinking in policy making

Global Europe 2050

Horizon Scanning in Government – Concept, Country Experiences, and Models for Switzerland

Knowledge base for Forward-Looking Information and Services [FLIS]

Long-term energy scenarios: Bridging the gap between socio-economic storylines and energy modeling

New Lens Scenario – A shift in perspective for a world in transition [Shell]

Probabilistic Risk Assessment Program

Public Sector Governance of Emerging Risks

RAHS Programme Office

REN21 Renewables Global Futures Report 2013 (GFR)

Resilience – now and in the future [BP]

Scenarios for Climate Assessment and Adaptation

Scenarios for Portugal

Sustainability Scenarios for a Resource Efficient Europe – Final Report for the European Commission (DG Environment)

The emerging risks quandary – Anticipating threats hidden in plain sight

The Global Risks Report 2016

Using scenarios to improve understanding of environment and security issues

What if? The art of scenario thinking for nonprofits (Diana Scearce and Katherine Fulton)

Working to solve complex sustainability challenges